A beleza acima da lógica

Buffer

O que atrai você? Para o arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer, “é a curva livre e sensual. A curva que encontra no sinuoso dos nossos rios, nas nuvens do céu, no corpo da mulher preferida. De curva é feito todo o universo. O universo curvo de Einstein”. É nisso que seus trabalhos são inspirados: formas sinuosas com o uso da plasticidade no concreto armado.

Nascido em dezembro de 1907, Niemeyer começou a desenhar desde pequeno. Após trabalhar na tipografia do pai, ingressa em 1929 na Escola Nacional de Belas Artes e se forma engenheiro e arquiteto em 1934. Um pouco antes de se formar, iniciou seus trabalhos com o arquiteto Lúcio Costa da escola modernista, com o qual trabalhou por sete anos até 1943, e ao seu lado desenvolveu o projeto do Ministério da Educação e Saúde do Brasil. Uma das grandes influências em seu trabalho foi um dos pioneiros da arquitetura moderna Le Corbusier, suíço naturalizado francês, cuja arquitetura foi desenvolvida principalmente com aço e concreto armado no trabalho com formas geométricas elementares. Em 1946, ao lado do mesmo, elaborou o projeto escolhido para a sede das Nações Unidos em Nova Iorque, após alcançar projeção internacional com o Conjunto da Pampulha, obra realizada entre os anos de 1942 e 1944, no estado de Minas Gerais, a qual fortemente caracterizou o estilo arquitetônico sinuoso de Niemeyer.


Foi escolhido em 1957 para a construção da nova capital do Brasil, Brasília. O objetivo do então presidente Juscelino Kubitschek com esse projeto era desenvolver o centro despovoado do Brasil, de modo a interiorizar o progresso econômico. Alguns anos depois, uma vez que sempre esteve envolvido em questões políticas, Niemeyer exilou-se na França por um período durante a ditadura brasileira até os anos 1980. No exterior, desenvolveu projetos principalmente na Europa e norte da África.

Em 1988, recebeu o maior prêmio da arquitetura, o Prêmio Pritzker, pela construção da Catedral de Brasília. O arquiteto que completou 100 anos em 2007, ainda lúcido e trabalhando, doou o dinheiro de diversos projetos que desenvolveu. Acredita que a arquitetura não deve pensar apenas na arquitetura, e sim em como a mesma pode resolver os problemas do mundo. Defende que o papel da arquitetura é lutar por um mundo melhor, em que a arquitetura possa se desenvolver de modo a servir a todos e não apenas a um grupo de pessoas privilegiadas.

Nesse ano, a linha de tênis da Converse anuncia coleção inspirada no trabalho do brasileiro: os tênis fazem alusão a obras específicas projetadas por ele e apresentam as curvas de Niemeyer em todos os modelos. Em 2011, sua obra inspirou a joalheria brasileira H. Stern em uma coleção que faz homenagem a seu trabalho:

Qual sua obra preferida de Niemeyer?

[English]

You might also like:

Buffer