Fatos curiosos sobre a vida na Alemanha

BufferShare

Estacionando carros

Fico impressionada com o fato dos alemães usarem o carro na calçada e terem uma maneira bem peculiar de estacioná-los. De vez em quando eu sinto que posso ser atropelada caso me distraia. É ótimo que eles possam estacionar na calçada. Eles deviam adotar esse hábito e a legalização do mesmo no Brasil, aí eu até consideraria comprar um carro.

Arquitetura

Sobre a arquitetura, eu tenho uma crítica construtiva : eu acho que já passou do tempo deles pararem de construírem coisas com esses tijolos vermelhos/marrons em Hamburgo. Eles parecem com a típica churrasqueira brasileira – googlem ‘churrasqueira’ isso e vão saber do que estou falando. Além do mais, eles dão um ar apagado à cidade. Ou talvez eles queiram conservar o estilo da cidade ou algo assim.

Sobre a língua alemã

O idioma alemão soa super bem. O único grande problema é: eu não entendê-lo. Eu só posso entender frases básicas e palavras aleatórias, no entanto meu cérebro é ganancioso e teimoso, e está sempre involuntariamente tentando entender o impossível. Por isso pode ser bem cansativo ouvir uma lingual desconhecida por um longo período. Outro fato curioso sobre ouvir um idioma desconhecido é que às vezes parece que as pessoas estão tendo conversas super interessantes. Provavelmente tenho essa impressão porque não consigo entender, o que me dá espaço para idealizar conversas legais, assuntos e assim por diante. No entetando, talvez eu ficasse decepcionada caso pudesse entender tudo..

Parece, para mim, que os alemães frequentemente pedem um ao outro para repetir o que eles falaram (Wie, bitte ?), e isso é meio que um consolo para mim : os alemães têm dificuldade de se compreenderem também. Isso ocorre provavelmente devido ao fato d’eu não entender muito as conversas, mas eu prefiro fingir que eles têm dificuldade em entender a própria língua.

Alguns dos meus amigos têm técnicas para se virar com a língua alemã, nenhuma muito útil, devo dizer. Uma das dicas seria sempre dizer ‘genau’ e sorrir sempre que você não entender algo. Uma amiga brasileira tinha (gosto de pensar que ela desistiu dessa) outra maneira de lidar com o alemão. Ela sempre dava ‘nein’ como resposta. Até que um dia uma atendente perguntou se ela queria pagar com dinheiro ou cartão e ela disse : ‘nein’.

Eu também passei por algumas situações constrangedoras. Como por exemplo uma noite estávamos em um bar e um amigo ligou perguntando onde era. A pessoa no telefone me perguntou e como eu não tinha idéia de qual era o nome do bar, comecei a procurar o nome no menu. Começo então a ler (e minha amiga no telephone a repetir) o seguinte: Speisen & Getränke (comidas and bebidas). O que tenho a dizer em meu favor é que percebi que estava errado antes de terminar a frase. Sem mais comentários.

As pessoas

Acredito que quando falamos sobre nacionalidades as opções mais comuns são : apontar exemplos que provam clichês serem verdadeiros ou tentar desmistificar estes clichês mostrando exemplos que são opostos a eles. O primeiro (quando feito sem senso de humor) é tediante, chato ; o segundo é tão chato quanto, pois é forçado e também baseado em clichês dos quais ironicamente tenta fugir. Como agora não tenho criatividade para escrever algo divertido ou dissertar idéias aprofundadas sobre o comportamento alemão, prefiro não dizer coisa alguma.

Mas e você, já esteve na Alemanha? Quais foram suas impressões?

[English]

You might also like:

BufferShare