Berlim: Cidade das pessoas loucas e dos animais empalhados – Parte 1

Você provavelmente está se perguntando se esses dois fatos estão conctados ou se eu simplesmente criei um título chamativo visando atrair sua atenção. A primeira opção está correta, então vá em frente!

Por dentro do apartamento de um nerd

Nós éramos 5 pessoas (4 brasileiros e uma tcheca) no apartamento de um amigo em Berlim. O flat era alugado e na verdade pertence a este cara que eu acredito ser uma espécie de gênio. Nós podíamos ver no apartamento papéis com fórmulas químicas colados nas paredes, junto com poesias, posters do Bob Dylan e assim por diante. Havia também toneladas de livros, de Química a Psicanálise – e algo me diz que ele realmente leu todos.
Enquanto normalmente nós, pessoas comuns e sem graça, temos gatos, cachorros e passarinhos vivos ; o cara nerd tem duas cobras vivas, alguns animais empalhados (dentre os quais estão uma coruja e um tatu) e um chifre. Eu aposto que na sua geladeira tem cerveja, iogurte, pizza e todas essas coisas desinteressantes. Bem, nosso amigo excêntrico tem uma tartaruga hibernando e pequenos ratos mortos (para alimentar as cobras).
Não tive o prazer de conhecer este rapaz, mas seu apartamento permanecerá sempre na minha memória, e nas minhas fotos.

No trem I

Voltando de uma procura inútil por uma boate, havia um homem tocando violão e cantando Take Me Home, adicionando um `I love you` sem noção a cada final do refrão. Até aí, tudo parece comum. Mas então as pessoas começam a cantar junto com o cara! Não sei em outros lugares, mas de onde eu venho as pessoas só olham com indiferença para esse tipo de coisa. Então me senti como se estivesse em dentro de um musical de Hollywood no qual as pessoas estão simplesmente andando na rua ou fazendo qualquer atividade diária quando de repente sentem vontade de cantar e dançar por qualquer razão que seja. E eles se sentem livres suficientes para assim o fazer.

No trem II

Havia uma garota no trem com os dois braços engessados e cobrindo o rosto com uma revista virada de cabeça para baixo. Um dos nossos amigos começa a falar com ela e pergunta o que aconteceu. Ela diz que caiu de bicicleta – eu e a menina tcheca achamos que ela iria dizer que cortou os pulsos ou algo assim – e foi a um bar (!) onde eles medicaram (!) os braços dela. Se na situação interior eu me senti dentro de um musical, nesta nós poderíamos estar em algum filme surreal do Buñuel.

Quase um poliglota

Nós vimos um menino que imaginamos ter no máximo 5 anos de idade. Ele primeiro estava falando alemão, depois italiano. Eu e nossa amiga tcheca achamos impressionante que um menino tão novo falasse já duas línguas, quando nossa amiga brasileira chega e diz que ele estava falando inglês com ela. Aparentemente as pessoas de Berlim não só são loucas, mas também muito espertas. E sim, eu sei que é mais fácil aprender quando se é criança, mas eu nunca havia testemunhado isso.

Impressões gerais sobre Berlim…

Berlim pareceu para mim mais viva que outras cidades da Alemanha – apesar de que eu só estive em duas até agora. Às vezes parecia mais comum ouvir pessoas falando em espanhol que em alemão lá. Eu tenho na minha cabeça a imagem de que para cidades grandes assim serem chamadas, elas precisam ter muitos prédios altos e modernos. Então certas regiões de Berlim não pareciam realmente como cidade grande pra mim. Ah, e para minha grande satisfação, nevou! Neve durante a primavera – como não gostar da Europa?

(Continua…)

Quais as cidades mais loucas que você já visitou? Compatilhe com a gente!

[English]

You might also like: