Bocadinhos de Brasil – Parte 2: Roraima

Que tal um pouco de contraste? Do extremo Sul do Brasil, vamos direto ao extremo Norte. Mais exatamente para RORAIMA, onde se localiza o Monte Caburaí – considerado, com 1.465 metros de altitude, o ponto mais ao norte deste país gigantesco, delimitando a fronteira do Brasil com a República Cooperativista da Guiana e com a Venezuela.

Diferentemente do Rio Grande do Sul, majoritariamente urbanizado, o estado de Roraima possui 72% da área total revestido pela Floresta Tropical e é fartamente irrigado por 14 rios, integrantes da bacia do Amazonas – o que explica, em parte, a densidade baixa de 1,88 habitantes por km², de acordo com dados do IBGE.








A maior das 15 cidades do Estado é Boa Vista, com cerca de (apenas) 267 mil habitantes. A maior parte da população é formada por mestiços e indígenas – o Dia do Mestiço é data oficial no estado.














Desconhecida por grande parte do povo brasileiro, Roraima tem um grande potencial turístico, em especial no ecoturismo. A Pedra Pintada é famosa por suas inscrições de civilizações milenares, que atraem a curiosidade de turistas e arqueólogos, constituindo-se no mais importante sítio de Arqueologia ciência do estado. O Monte Roraima, segundo ponto mais alto do Brasil, impressiona pelas formas esculpidas nas rochas pela ação dos ventos. Um ambiente envolto em atmosfera de magia e mistérios. Segundo a lenda indígena, O Monte Roraima é o berço e morada de Macunaima, Índio corajoso e guerreiro. A tríplice fronteira entre o Brasil – Guiana – Venezuela fascina aos visitantes com seu majestoso e imponente formação rochosa, em meio às savanas Amazônicas.

Conheça um pouco de Roraima

[English]

You might also like: