Carnaval no Brasil – música, cores e competição

[English]

800px-carnival_in_rio_de_janeiro_200

O Carnaval representa o que realmente é ser brasileiro. Junta elementos de nossa cultura em um festival aguardado por todos, no qual cada um pode – ao menos por alguns dias – ser o que quiser.

Carnaval é época de mandar todas as preocupações embora. Aproveitar o feriado, curtir a folia, ouvir música alta, dançar até não aguentar mais. Na maior parte do Brasil o carnaval é assim mesmo; até mesmo o sol escaldante não atrapalha os trios elétricos, as batucadas, a alegria.

Mas para as Escolas de Samba, a hora de relaxar ainda não chegou. Até a última nota do último juiz ser apresentada e a campeã ser então escolhida, muito stress ainda está pelo caminho.

Sendo assim, no Brasil o Carnaval não é somente diversão; tem muito trabalho sério envolvido. As Escolas de Samba não são literalmente escolas, mas sim associações formadas por centenas de pessoas, que ensaiam durante o ano para competir durante os desfiles de Carnaval.

Os desfiles das Escolas de Samba são organizados seguindo alguns princípios:

1. São duas noites de desfiles e cada escola tem 80 minutos para passar por toda avenida e mostrar tudo o que eles tem de bom. A avenida é rodeada de arquibancadas com milhares de espectadores prontos para serem maravilhados.

2. Os desfiles do Rio de Janeiro são feitos no Sambódromo da Marquês de Sapucaí, que tem cerca de 700 metros de comprimento e tornou-se o principal palco para comemorações no país.

3. As escolas de samba tem alguns componentes que são obrigatórios. Entre eles:

Enredo, ou tema do desfile. Os temas variam de acordo com o que as escolas quiserem, seja Amazônia ou Japão, chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil ou Sereias.

Samba-enredo, ou seja, a música que é tocada e cantada durante todo o desfile. Ela deve esclarecer o enredo, ter uma boa melodia e contagiar a todos. Ela se repete durante os 80 minutos do desfile e no final, praticamente todos espectadores já a sabem de cor.

Comissão de frente: um grupo de pessoas que lidera toda a Escola de Samba e dá a primeira boa impressão.

Alegorias: carros que sustentam uma grande estrutura enfeitada acima deles, com pessoas que são chamadas de destaques. Os carros alegóricos são, na maior parte das vezes, empurrados por pessoas escondidas, para que o risco de o carro estragar durante o desfile seja menor.

O mestre-sala e a porta-bandeira são um casal que executa uma dança especial e apresenta com graciosidade o resto da escola. Quando eles passam na frente dos juízes, param para apresentar sua dança, onde são avaliados. A porta-bandeira carrega a bandeira da Escola de Samba.

A bateria, ou seja, centenas de pessoas tocando instrumento de percussão e dão ritmo ao desfile. Liderando a bateria está sempre a Rainha da Bateria, normalmente uma atriz famosa do Brasil.

Intérprete ou puxador, que é quem canta o samba-enredo durante todo o desfile.

4. Os juízes avaliam diversos fatores das escolas – e a performance de cada uma das centenas de pessoas que participam do desfile conta. Por isso, não importa o que aconteça, cada um deve continuar cantando, dançando e sorrindo.

Depois de um ano de muito ensaio, cada escola busca ser mais extravagante que a outra – todas em busca da perfeição. Nos desfiles, o comum torna-se glamuroso, o trabalho transforma-se em diversão e a maior festa do mundo vira uma competição.

* A imagem foi originalmente postada no Flickr por $ergio Luiz em http://flickr.com/photos/[email protected]/399791856

You might also like: