Que língua é essa?

Chegando em casa, depois de assistir a aula de um dos professores mais temidos da faculdade (matéria difícil, pessoa também), minha mãe e eu tivemos o seguinte diálogo:

-Como foi a aula?
-Difícil, não entendi quase nada.
-Nossa, a matéria é mesmo muito complicada?
-Bastante. Primeiro tenho que traduzir o que o professor fala: o sotaque dele é tão forte que mais parece outra língua! Tradução feita, tenho que refletir sobre o assunto e dar as respostas adequadas. Fazer tudo isso às 7:30 da manhã é dureza!

Nós duas caimos na risada, claro. Exageros à parte, embora falemos a a mesma língua, cada região do Brasil tem as suas peculiaridades. A nossa língua portuguesa têm influências indígenas, africanas e de diversos outros povos que para cá imigraram ao longo dos anos.

Somadas todas estas influências com a criatividade brasileira, o resultado é uma infinidade de termos populares regionais, ou seja: gírias! Gíria, segundo o Dicionário Priberam, é a “linguagem usada por determinado grupo, geralmente incompreensível para quem não pertence ao grupo e que serve também como meio de realçar a sua especificidade.” As gírias são um importante recurso da comunicação, faladas por todas as camadas sociais e faixas etárias. Algumas gírias de estados do Brasil são as seguintes:

BAHIA

De hoje – significa “há muito tempo”. Se você espera por alguém ou algo por muito tempo, pode dizer: “ De hoooje que eu tô esperando!”.
Massa! – legal.
Ô pega! – expressão que indica surpresa. Algo como “Meu Deus!” ou “Nossa!”.
Baba – partida de futebol, pelada.
Pegar o boi, se armar – se dar bem.
Se lenhar – se dar mal.
Se picar – ir embora.
Tabaréu – caipira.

MINAS GERAIS

Trem – qualquer coisa. Se um mineiro vê uma criança bonita, diz: “ Que trenzin mais lindo, uai!”. Trem no diminutivo e sem as duas últimas letras.
Uai! – indica surpresa, espanto. É usada em quase todas as frases mineiras.
Rachar de rir – rir muito.
Osso – difícil.
Aqui – palavra usada para começar a frase, introduzir um assunto.” Aqui, você vai viajar no verão?”

SÃO PAULO

Balada – festa .
Trampo – trabalho.
Meu – palavra usada para fazer referência a uma pessoa. “ Meu, cadê você?”.
Mina – menina.
Tá ligado? – Entendeu?
Muito louco, da hora – algo muito legal, interessante.

RIO DE JANEIRO

Bolado – preocupado.
Irado – muito legal.
Night – festa.
Sinistro – pode ser algo muito bom ou muito ruim.
Mermão -aglutinação de meu irmão . “Aí, mermão, que parada é essa?” .
Parada – significa coisa, qualquer coisa. “Esqueci aquela parada em casa”.
Sangue-bom – pessoa legal, agradável.

Um vídeo interessante, que mostra as diferenças regionais da fala no Brasil e as gírias usadas em determinados estados, é o da entrevista de Nelson Freitas no programa de Jô Soares. Ele, como muitos de nós brasilieros, tira sarro de paulistas, mineiros, baianos, cariocas. Tirar sarro, por exemplo, é uma gíria brasileira que significa zombar. Estas diferenças contribuem para tornar a nossa língua especial e mais rica a cada dia.

[English]

You might also like: