Um balaio de inspiração

O que vocês estão prestes a ler é um balaio de inspiração. Balaio, em português, quer dizer “cesto de palha” onde se pode colocar de tudo. Esse texto pode ser também uma “bricolagem”, ou seja, uma “colcha de retalhos”. Bricolagem é um conceito desenvolvido por Lévi-Strauss e, em palavras simples, quer dizer que todos somos constituídos de pequenas memórias e influências que juntas, como uma colcha de retalhos, define como e quem somos. Espero que gostem do texto!

Eu gostaria de seu musicista, dançarina, poetisa, escritora, criativa. Não, não precisa ser tudo de uma vez só, apenas um dos talentos mencionados já me bastaria. Por que esse desejo? Porque observando músicos, poetas ou escritores famosos, percebo a paixão que eles atribuem a seus trabalhos. Claro que me refiro aos grandes, aos clássicos, àqueles que de fato amam o que fazem. Acredito e imagino que tais artistas são dotados de tamanha sensibilidade que lhes basta viver para encontrar inspiração para suas músicas e composições.
Se olharmos para a história, encontramos em todos os tempos e culturas personalidades incríveis, que marcaram época, que revolucionaram seu tempo e que, de uma forma ou de outra, permitiram que o mundo seja como o é hoje.

Aprecio em especial a história de vida do pintor italiano Modigliani. Talvez porque quando mais nova assisti a um belo filme sobre sua história, porém o que interessa é que jamais esqueci o filme e sua obra. Modigliani teve uma vida sofrida, vivia em meio à pobreza, mas amava intensamente sua mulher e o que fazia. Caso você já tenha tido a oportunidade de ver uma obra de Modigliani, deve ter reparado que em muitos de seus quadros ele não pintava os olhos das pessoas. Conta-se que tal fato ocorria, pois Modi (como seus amigos o chamavam) acreditava que os olhos eram de fato a janela para alma das pessoas e que somente quando as conhecia muito bem é que poderia pintar seus olhos. Gosto em particular dessa história, pois acredito que revela um pouco das convicções que moviam o pintor.

No momento estou ouvindo ao álbum da nova banda Superheavy. A banda pode ser nova, mas seus integrantes já possuem longa estrada no mundo musical, são eles Mick Jagger, Joss Stone, Damian Marley (filho do Bob Marley), Dave Stewart and A.R. Rahman. Cada um desses cantores possui um estilo próprio e diverso. Por isso estava muito curiosa para ouvir esse álbum, afinal é uma mistura de estilos inusitada. Mais uma vez, enquanto ouço ao álbum imagino o quão interessante deve ter sido a experiência desses músicos que saíram de suas zonas de conforto e se lançaram a criar tudo novo de novo, cada um contribuindo com seu estilo e aprendendo com os “sons” dos demais.

Reuni um pintor do início do século XX e uma nova banda do século XXI em um mesmo texto, pois ambos despertam em mim essa curiosidade sobre suas vidas e sensações. Afinal, o trabalho de ambos desperta a minha “sensibilidade” a ponto de me pôr a escrever a respeito. Óbvio que um texto assim não se compara com suas obras, mas coloca o lado direito do meu cérebro, responsável pela criatividade, em movimento.

Poderia ainda aqui reunir o aprendizado de diferentes idiomas, acredito que uma nova língua também pode despertar a minha curiosidade e criatividade. Então, o que desperta a sua criatividade, o que lhe coloca em movimento e mexe com sua vida?

[English]

You might also like: